PANORAMA DA RAIVA HUMANA NO BRASIL

Fernanda Gonzalez Pedrosa, Marcos Montani Caseiro, Luiz Henrique Gagliani

Resumo


A raiva é uma doença conhecida há muitos anos, sendo seus primeiros registros datando do século X a.C. Atualmente, é uma doença de suma importância para a Saúde Pública, pois se trata de uma zoonose, ou seja, é uma doença transmitida por animais domésticos, como os cachorros, e por animais silvestres, como morcegos, sagui, raposas, coiotes, entre outros. A Raiva é uma doença causada por vírus, chamado Lyssavirus, quena maioria dos casos leva a morte, existindo poucos casos de sobrevivência relatados. O ideal para prevenir o desenvolvimento da doença e seu desfecho, é realizar a profilaxia pós exposição, que se dá, de maneira geral, através da limpeza da ferida de maneira abundante e administração de vacina antirrábica. Outra forma de prevenir a doença é a vacinação dos animais domésticos contra o vírus. A doença está concentrada nas áreas mais socioeconomicamente precárias do país, como Norte e Nordeste, sendo que lá a profilaxia não é feita adequadamente, tanto por falta de preparo dos profissionais quanto por falta de vacinas e soros antirrábicos, o que leva ao aparecimento de mortes pela doençanesses locais. Após o desenvolvimento da doença, existe um protocolo de tratamento a ser seguido – Protocolo de Recife – desenvolvido pelo Ministério da Saúde, sendo ele baseado em um protocolo americano, chamado Protocolo de Milwaukee, que foi escrito a partir do caso de sobrevivência de uma menina infectada nos EUA. Entretanto, existem divergências quanto a real eficácia desse protocolo, tendo muitos pesquisadores alegando a ineficiência do tratamento e que não há comprovação científica para comprovar a sua efetividade. A falta de estudos na área remete ao fato de que a Raiva é uma doença negligenciada, e assim, não há recursos para desenvolvimento de novos tratamentos, pois é uma doença que acomete principalmente países menos desenvolvidos, sendo de pouco interesse para os países mais desenvolvidos na área de pesquisa médica. O diagnóstico é dado através de técnicas de biologia molecular, que vem avançando nos últimos anos, facilitando o diagnóstico, porém, alguns são de alto custo, e assim, não são acessíveis para os locais onde a doença é mais comum.

PANORAMA OF HUMAN RAGE IN BRAZIL

Rabies was first described in the tenth century B.C. Currently, it is of great importance to public health, due to the fact that is a zoonosis, being transmitted mostly via household animals, such as dogs, and wild animals like bats, marmosets, foxes, coyotes, etc. Rabies is caused by a virus, named Lyssavirus, which leads to death, although there are few cases of survival descripted. The best way of prevention, be it of the disease itself or its outcome, is through a thoroughly made prophylaxis post-exposure, varying according to a few variables, but mostly via wound cleaning and administration of anti-rabies vaccine. Another viable way of prevention is the vaccination of household animals against the virus. The disease is mostly prevalent in the poorest parts on the country, namely Northern and North-eastern regions, where the prophylaxis is not made in the appropriated manner, both due to lack of expertise as to lack of the vaccines or serums themselves, leading to higher death ratios in those places. After the disease has fully developed, the protocol of Recife, created by the Health Department and based by the Milwaukee’s Protocol, written from a case of survival of a female child infected in the United States, must be followed. Conversely, there are many divergent views about the real efficacy of such protocol, with many scholars debating about the lack of scientific proof about its worth. The lack of research in the area is easily explained due to the fact that Rabies is a neglected disease, being most prevalent in developing countries, lacking interest for developed countries to invest on research, therefore leading to few or none new treatments for the disease. The main diagnostic technic is through molecular biology, with great strides in the last few years, which allows an easier diagnostic, although many are high cost, not being accessible where they are mostly needed.


Palavras-chave


raiva; lyssavirus; epidemiologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.