Agravos da Tuberculose em Decorrencia do HIV

Anni Karolinne Balbino Amaral, Beatriz Aparecida da Silva, Beatriz Cappas Faria, Erika Aline Queiroz Nobre, Gabrielle Santos Pinto Gomes, Bruna Coronato, Elizete Rodrigues Antonio

Resumo


ANNI KAROLINNE BALBINO AMARAL – anni_karoline@hotmail.com  

BEATRIZ CAPPAS FARIA– beatrizcappas@live.com

BEATRIZ APARECIDA DA SILVA  – beatriz.apdasilva@hotmail.com

ÉRIKA ALINE QUEIROZ NOBRE  – nobre_erika@hotmail.com

GABRIELLE SANTOS PINTO GOMES  – gabrielle_ginasta@hotmail.com

BRUNA CORONATO – bcoronato@hotmail.com

ELIZETE RODRIGUES ANTONIO – elizantonio@hotmail.com

                                  

                                   AGRAVOS DA TUBERCULOSE EM DECORRENCIA DO HIV

Neste trabalho será analisado a probabilidade dos indivíduos portadores de HIV adquirirem tuberculose sendo que segundo a Apostila do Ministério da Saúde “Recomendações para o manejo da coinfecção TB/HIV em serviços de atenção especializada a pessoas com TB/HIV”, publicada em 2013 a associação da tuberculose com o vírus HIV recebe o nome de coinfecção e de acordo com o Ministério da Saúde (MS, 2015), há uma  veemente necessidade de um rápido diagnóstico e início do Tratamento, aumentando assim a qualidade de vida do portador de HIV, infectado com Tuberculose. O objetivo deste trabalho é verificar se há uma maior gravidade em adquirir tuberculose sendo portador de HIV, evidenciando as complicações, tais como a resistência a medições, o prolongamento do tratamento, entre outras. Para tal verificação foi realizada  uma pesquisa de levantamento de dados bibliográficos exploratória em base de dados eletrônicos na qual foram utilizados 15 artigos encontrados através dos descritores tuberculose e HIV, e estes, servirão como a estrutura científica deste trabalho acadêmico, os quais foram encontrados virtualmente em bibliotecas como Bireme, BVMS, Scielo, OMS, Ministerio da Saúde e CVE, com pesquisas realizadas do ano de 2005 ate 2015. Os 15 artigos utilizados como base desta pesquisa afirmam que a tuberculose é a principal causa de morte em paciente acometidos por HIV, e que a população entre 19 e 65 anos, está mais propensa a contrair a tuberculose, segundo Santos et al. (2009) é importante ressaltar  também  que nenhum dos artigos aqui citados dizem que não há gravidade entre a coinfecção do HIV e da tuberculose  e que o tratamento da tuberculose em sinergia com HIV é de extrema importância destacando  que o tratamento da coinfecção deve ser iniciado o mais rápido possível, a fim de que o portador do HIV seja curado da tuberculose e obtenha melhoras em suas condições de saúde por indicação do Ministério da Saúde (MS, 2015). Este trabalho evidencia  a gravidade da coinfecção da tuberculose em portadores de HIV, mostrando a grande importância de ser realizado e concluído o tratamento desta coinfecção pois mesmo a tuberculose sendo uma doença tratável seu tratamento é longo e bastante minucioso e requer  cuidados específicos pois seus agravos pioram se associados ao HIV, doença que afeta o sistema imunológico isto segundo a apostila “Recomendações para terapia antirretroviral em adultos e adolescentes infectados pelo HIV” publicada em 2008 pelo Governo do Rio de Janeiro, lembrando que O risco de óbito de pacientes portadores de HIV que contraem a tuberculose é muito maior do que a população sem HIV, segundo Jamal e Moherdauii (2007, p. 04).

Palavras Chaves: HIV, tuberculose, coinfecção


Texto completo:

PDF

Referências


DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS . O QUE É HIV? 2011. Disponível em :http://www.aids.gov.br/

JAMAL, L.F. Tuberculose e infecção pelo HIV no Brasil: magnitude de problema e estratégias para o controle– Revista de Saúde Pública – 2007.

LEMOS, A. C. M.Coinfecção Tuberculose/HIV -2008

MINISTÉRIO DA SAÚDE.PORTAL DA SAÚDE-2015TUBERCULOSE Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=11045&Itemid=674

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual Técnico para o Controle da Tuberculose Caderno de Atenção Básica nº 06- 1ª Edição – 2012

MINISTÉRIO DA SAÚDE.Recomendações para o Manejo da Coinfecção TB/HIV em serviços de atenção especializada a pessoas vivendo com HIV/Aids. 1ª Edição- 2013

MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Recomendações para terapia antirretroviral em adultos infectados pelo HIV. Brasília-DF-2008

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual de Baciloscopia da Tuberculose – República de Moçambique – 2012

MINISTÉRIO DA SAÚDE – 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/

NEVES, L. A. S. de/ CANINI, S. R. M./ REIS, R.K / SANTOS, C. B. dos / GIR, E.AIDS E TUBERCULOSE: A COINFECÇÃO VISTA PELA PERSPECTIVA DA QUALIDADE DE VIDA DOS INDIVÍDUO.Revista da escola de Enfermagem da USP. Junho de 2012.

ONU- 2015. disponível em: http://nacoesunidas.org/ < acesso em: 20/03/2015>

SANTOS, J. da S. e BECK, S. T. - A Coinfecção Tuberculose e HIV: Um importante desafio- Revista Brasileira de Análises Clínicas – 2009

SANTOS, et.al. - A dimensão epidemiológica da coinfecção TB/HIV. 2009

UNAIDS. How Aids Changed Every Thing - 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 30 de junho
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 30 de setembro
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 31 de dezembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.