DIAGNÓSTICO DA OSTEOMIELITE CRÔNICA EM MEDICINA NUCLEAR

Giulia Beatriz Nascimento Gonçalves, Carolina Aparecida Souza, Thalita Pinheiro Sanches

Resumo


A inflamação é uma reação complexa do tecido a um machucado, que pode ter causa física, química, imunológica e até mesmo pela radiação. Quando a inflamação é aguda, refere-se ao início ou a resposta imediata ao ferimento, que tem curta duração. A inflamação crônica é aquela que, pode durar por semanas e até mesmo anos. A Osteomielite crônica é um processo inflamatório do tecido ósseo, causada por diversos agentes infecciosos e que, tem esse prognóstico devido ao tempo e a evolução da doença, já que também existe a Osteomielite aguda. Para um diagnóstico preciso e eficaz da Osteomielite crônica, é necessária muitas vezes a combinação de diversas técnicas de imagem. Dentro dessas técnicas, encontram-se as de Medicina Nuclear, onde são utilizados exames de Cintilografia Óssea, combinado com 67 Gallium, leucócitos e medula óssea, para um diagnóstico acurado. 18-F Fluorodeoxyglucose pósitron emission tomography (FDG-PET) também é uma técnica de imagem que se tornou bastante promissora na modalidade de infecção do esqueleto. O trabalho tem como objetivo abordar de forma direta sobre a osteomielite, enfatizando na osteomielite crônica, suas características e principalmente sobre como é realizado seu diagnóstico na Medicina Nuclear. Foram analisados cinco artigos acadêmicos de língua estrangeira para elaboração do trabalho que, nos levaram a conclusão de que apesar de métodos de imagem de medicina nuclear serem capazes de detectar precocemente a osteomielite, sua especificidade é baixa, necessitando de outros métodos de imagem complementares, para diagnóstico preciso.

 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.