EXPOSIÇÃO E PREVENÇÃO À RADIAÇÃO IONIZANTE DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE QUE ATUAM NA HEMODINÂMICA

Ricardo Graciano da Silva, Paulo Pinhal Junior

Resumo


Os serviços prestados na Hemodinâmica têm contribuído significativamente com diagnósticos nas áreas cardiovasculares e neurológicas de forma menos invasiva e eficaz, com o uso da radiação para se obter imagens radiográficas e a falta de conhecimento dos perigos em doses excessivas tanto para os profissionais como para os pacientes, foi elencado algumas formas de proteção e meios de trabalho que não exponham a altas doses de radiação. A radiação utilizada em Procedimentos Invasivos no Serviço de Hemodinâmica teve inicio na década 1960, tais procedimentos visam diagnosticar e agir diante das patologias nos sistemas cardiovascular e neurológico (CANEVARO, 2009). Com o crescimento da cardiologia intervencionista e a evolução de suas técnicas, a exposição aos Raios X tanto da equipe técnica e dos pacientes tem aumentado consideravelmente por conta de procedimentos de cateterismo, por causa do impacto do processo, tem apresentado riscos de exposição em níveis elevados que atingem pacientes e profissionais, são métodos repetitivamente executados para obtenção de imagens satisfatórias e conseqüentemente os riscos de contaminação se elevam deixando vulneráveis se não houver medidas de proteção e conhecimento dos riscos inerentes a radiação (MEDEIROS, 2010). Na Radiologia Intervencionista um dos métodos utilizados são os procedimentos de radiodiagnósticos que emitem doses elevadas aos pacientes e expõem os profissionais a radiações mais críticas. Estes profissionais ficam expostos a radiação ionizante para obter uma melhor imagem e com isso diagnosticar com eficácia, sua presença na sala de procedimento se faz necessária para intervenções e ajustes dos feixes de Raios X, alcançando resultados satisfatórios (LUZ, 2007). Conforme a NR 6 é indispensável que o profissional faça uso do EPI (equipamento de proteção individual), tais equipamentos devem constar o Certificado de Aprovação (CA) concedido pelo MTE visando verificar a qualidade dos mesmos. Nas atividades da Hemodinâmica é necessário utilizar os seguintes materiais de proteção: avental plumbífero, protetor de tireóide plumbífero, luvas plumbíferas, óculos com vidros plumbíferos anterior e lateral. Alem da proteção individual se faz necessário o uso do EPC (equipamento de proteção coletiva), cortinas ou saiotes plumbíferos anteriores e posteriores nos equipamentos de fluoroscopia, biombos e anteparos móveis de chumbo (SOUZA, 2008). A Radiologia Intervencionista vem minimizando procedimentos invasivos e trazendo melhores resultados a pacientes que passam por tratamentos e intervenções cardiovasculares e neurológicas, o uso da radiação ionizante nos favorece com imagens precisas do local lesionado para uma intervenção médica mais eficaz. Estas intervenções são importantes e necessárias, mas não podemos esquecer que o mau uso da radiação ionizante pode ocasionar prejuízos irreparáveis para a saúde tanto do paciente quanto dos profissionais que atuam na Hemodinâmica, portanto é de extrema relevância que façam o uso adequado do EPI e do EPC.

Texto completo:

PDF

Referências


FRANCISCO, F.C.; MAYMONE, W.; CARVALHO, A.C.P.; FRANCISCO, V.F.M.; FRANCISCO, M.C. Radiologia: 110 anos de história. Rio de Janeiro: Rev. Imagem, 2005; 27 (4): 281-286.

FENELON, S. A História da Radiologia no Brasil. São Paulo: Revista MED Atual (Siemens) Ed., 2005.

CANEVARO, L. Aspectos físicos e técnicos da Radiologia Intervencionista. Rio de Janeiro: Revista Brasileira de Física Médica, 2009; 3(1): 101-15.

SILVA, L.P.; MAURÍCIO, C.L.P.; CANEVARO, L.V.; OLIVEIRA, P.S. Avaliação da exposição dos médicos à radiação em procedimentos hemodinâmicos intervencionistas. Rio de Janeiro: Radiol Bras, 2008; Set/Out; 41 (5): 319-323.

LUZ, E.S.; CANEVARO, L.V.; FERREIRA, N.M.P.D.; CAMPOS, J.E. A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE HEMODINÂMICA E CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA. Rio de Janeiro: Radiol Bras. 2007; 40(1): 27-32.

MEDEIROS, R.F.; LEITE, R.S.; CARDOSO, C.O.; QUADROS, A.S.; RISSO, E.; FISCHER, L.; GOTTSCHALL, C.A.M. Exposição à Radiação Ionizante na Sala de Hemodinâmica. Porto Alegre: Rev Bras Cardiol Invasiva. 2010; 18(3): 316-20.

SOUZA, E.; SOARES, J.P.M. Correlações técnicas e ocupacionais da radiologia intervencionista. São Paulo: J Vasc Bras. 2008; 7(4): 341-350.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 30 de junho
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 30 de setembro
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 31 de dezembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.