SÍNDROME ANTIFOSFOLIPÍDIO

Patrícia Almeida, Paolo Ruggero Errante

Resumo


Introdução: A Síndrome Antifosfolipídio (SAF) é uma doença autoimune sistêmica caracterizada pela produção e presença de altos níveis plasmáticos de anticorpos antifosfolipídios, como anticoagulante lúpico, anticardiolipina e anti-β2-glicoproteína 1. A SAF está associada a uma grande variedade de manifestações clínicas como eventos trombóticos no sistema arterial e venoso; manifestações cutâneas; cardíacas; neurológicas e complicações obstétricas, como pré-eclâmpsia, nascimento prematuro e abortos de repetição. Método: A revisão foi realizada através da utilização da base de dados bibliográficos de pesquisa LILACS, MEDLINE e PubMed.  Resultados: O controle e prevenção dos eventos trombóticos consiste no uso de fármacos anticoagulantes e antiagregantes plaquetários. O tratamento para diminuir a morbidade obstétrica inclui o uso de baixas doses de aspirina e/ou heparina de baixo peso molecular. Conclusão: A SAF é uma doença com alta morbimortalidade, sendo fundamental o diagnóstico precoce, manejo terapêutico e profilaxia.


Palavras-chave


síndrome antifosfolipídio; saf; trombose; livedo reticular; complicações obstétricas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.