AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE PROFESSORES DA ESCOLA PÚBLICA SOBRE A SÍNDROME DE BURNOUT COMO ELEMENTO PARA MELHORIA NA GESTÃO DE PESSOAS

Renato Ribeiro Nogueira Ferraz, Johanne Ferreira Porto, Ana Maria Rodrigues, Maria José Leonardi, Patrícia Alves Moreira, Sérgio Ulisses Lages da Fonseca, Armindo Aparecido Evangelista, Anderson Sena Barnabé, João Victor Fornari

Resumo


O presente estudo tem por finalidade avaliar o nível de conhecimento de um grupo de professores de escola pública, localizada na periferia de São Paulo, acerca da Síndrome de Burnout, seus principais sintomas bem como os fatores da rotina diária de trabalho que podem levar ao desenvolvimento da doença, uma vez que afetam o psicofísico e a produtividade do profissional da educação. Por se tratar de uma doença característica do meio laboral, que se dá em resposta à cronificação do estresse ocupacional trazendo consigo consequências negativas em nível individual, profissional, familiar e social, o tema foi escolhido com o objetivo de alertar sobre a relevância de se encontrar meios para preservar a saúde mental do professor que têm em sua rotina de trabalho uma das profissões mais estressantes e sendo assim possa refletir sobre as causas e tenha a possibilidade de intervir no processo de estresse antes que se torne incapacitante para o exercício da profissão. O método utilizado foi o descritivo, com abordagem qualitativa e desenvolvido por meio de referências teóricas e pesquisa de campo com 18 profissionais que se propuseram a participar deste estudo. Os instrumentos utilizados nessa pesquisa foram um questionário investigativo com fatores predisponentes pessoais de risco para a Síndrome de Burnout. Como resultado percebe-se que mais de 61% dos entrevistados afirmam ter algum conhecimento sobre a síndrome de Burnout e estresse ocupacional, podendo também falar sobre alguns dos sintomas que acometem os indivíduos com esta patologia.

Palavras-chave: Gestão em Saúde. Burnout. Professores. Estresse ocupacional. Escola pública.


Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque; MARTINS, Luiz Antonio Nogueira. Fatores que tornam estressante o trabalho de médicos e enfermeiros em terapia intensiva pediátrica e neonatal: estudo de revisão bibliográfica. Revista Brasileira Terapia Intensiva. 2008; 20(3) p.261-266.

BENEVIDES, Pereira Ana Maria. O estado da arte do burnout no Brasil. Revista Eletrônica InterAção Psy – Ano 1, nº 1- Agosto de 2003 – p. 4-11 2003. Disponível em: http://www.dpi.uem.br/Interacao/Numero%201/PDF/Artigos/Artigo3.pdf. Acesso em: 05/12/ 2013.

BOCK, V. R.; SARRIERA, J. C. O grupo operativo intervindo na Síndrome de Burnout. Psicologia escolar e educacional, vol.10, no.1, jun. 2006.

CAMELO, S. H. H.; ANGERAMI, E. L. S. Sintomas de estresse em trabalhadores de cinco núcleos de Saúde da Família. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Jan./Feb. 2004, vol.12, no.1, p.14-21. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php. Acesso em: 04/12/2013.

CASSI, Caixa de assistência dos funcionários do Banco do Brasil. Tabagismo: diminui número de fumantes no Brasil, 2011. Disponível em: http://www.cassi.com.br. Acessado em: 08/12/2013.

FOGAÇA, Monalisa de Cássia CARVALHO, Werther Brunow de; CÍTERO, Vanessa de

LEITE, M de P., & SOUZA, A. N. de (2007). Condições do trabalho e suas repercussões na saúde dos professores da educação básica no Brasil - Estado da Arte. São Paulo: Fundacentro/Unicamp.

MILLAN LR. A Síndrome de Burnout: realidade ou ficção? Rev. Assoc Med Bra v 53 n1 São Paulo jan-fev 2007.

MOREIRA et. al. Prevalência da síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um hospital de grande porte da Região Sul do Brasil.

OIT - Organização Internacional do Trabalho. A condição dos professores: recomendação Internacional de 1966, um instrumento para a melhoria da condição dos professores. Genebra, OIT/ Unesco: 1984.

REINHOLD, H. H. O BURNOUT. In: LIPP, M. E. N (Org.) O stress do professor. Campinas: Papirus, p 63-80, 2006.

SEGANTIN, Benedita das Graças de Oliveira; MAIA, Eliana Martins de Faria Lemos. ESTRESSE VIVENCIADO PELOS PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM NA SAÚDE.

SILVA, Ana M. Rodrigues da. O impacto do estresse ocupacional e a Síndrome de Burnout na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Trabalho (Graduação) – Faculdade do Sul da Bahia, Teixiera de Freitas – Bahia, 2011.

SOUZA, Juliana Rottemberg de. Síndrome de Burnout em enfermeiros assistencialistas no município de Teixeira de Freitas. Trabalho (Graduação) – Faculdade de Enfermagem, Pitágoras, Teixeira de Freitas – Bahia, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.